EMBRAPA DESENVOLVE TECNOLOGIAS À BASE DE NANO

Em 13 de novembro de 2017 por Torba Azenha em Agricultura, Destaque, Highlights

Torba Azenha

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária prova, mais uma vez, que é um dos grandes centros de pesquisa e tecnologia no país. Sua Rede de Nanotecnologia Aplicada ao Agronegócio (AgroNano) está apresentando 3 produtos inovadores.

O primeiro deles é a película comestível feita com diferentes alimentos como espinafre, mamão, goiaba, tomate, produzida com rejeitos da indústria alimentícia. O plástico comestível é feito basicamente de alimento desidratado misturado a um nanomaterial que tem a função de dar liga ao conjunto.
O material tem características físicas semelhantes aos plásticos convencionais, como resistência e textura, e tem igual capacidade de proteger alimentos com a vantagem de poder ser ingerido. Um imenso campo que pode ser explorado pela indústria de embalagens: aves envoltas em sacos que contêm o tempero em sua composição, sachês de sopas que podem se dissolver com seu conteúdo e várias outras possibilidades.
Os outros 2 produtos são fertilizantes de liberação controlada. Um deles é do tamanho de um grão de arroz, mas pode amenizar um dos maiores problemas da aplicação de nutrientes na lavoura, a volatilização e lixiviação, que são responsáveis por perdas da ordem de 50% de todo o fertilizante que o agricultor brasileiro aplica na lavoura.
O outro fertilizante foi desenvolvido à base de hidrogel, com capacidade de absorver até mil vezes o seu peso em água e com potencial para levar várias fontes de nutrientes. O produto é aplicado em pó no solo. Em contato com a água, o fertilizante absorve grande volume de água e a libera junto com o nutriente de forma controlada. Com isso é possível reduzir custos, por conta da menor aplicação de fertilizante, e ter menos concentração nas lavouras, diminuindo o risco de contaminação ambiental.