GIRLS WHO CODE

Em 28 de agosto de 2017 por Torba Azenha em Destaque, Highlights, Pesquisa

Torba Azenha

O Uber doou recentemente US$ 1,2 milhão para a Girls Who Code, uma organização sem fins lucrativos que trabalha para promover a diversidade de gênero em tecnologia. Outras grandes também estão investindo no projeto.

O dinheiro ajudará a Girls Who Code a capacitar mais 60 mil meninas em programação. Nos últimos cinco anos o programa já chegou a 40 mil delas. Bom para as garotas e para as empresas, sempre necessitadas de gente qualificada.

“Estamos tentando aumentar o programa especialmente em lugares onde as meninas têm pouco incentivo para abraçar uma carreira ligada à tecnologia”, disse a fundadora e CEO da Girls Who Code, Reshma Saujani. Ela acredita que, aprendendo a programar, as mulheres ganham mais coragem para entrar num universo composto basicamente por homens.

Com o crescimento das pesquisas (e dos negócios) da inteligência artificial (e outras áreas relacionadas), todas as empresas de tecnologia sentem a falta de especialistas e pagam uma fortuna para obtê-los. O interesse que este projeto despertou pode ser visto na lista de parceiros que tem, entre outros nomes famosos, a IBM, a Microsoft, a AT&T e o Twitter.

Vale a pena ver o TED Talks de Reshma Saujani