INDÚSTRIA DE TECNOLOGIA CONTRA TRUMP E A FAVOR DA COOPERAÇÃO NA CIÊNCIA.

Em 1 de fevereiro de 2017 por Torba Azenha em Highlights, Inteligência Artificial

Torba Azenha

Os grandes da indústria de tecnologia americana se uniram politicamente antes e depois da eleição de Trump. Sempre contra o republicano. Inclusive agora, com reações fortes ao decreto presidencial que proíbe a entrada de cidadãos de alguns países, uma boa parte deles, origem de vários pesquisadores brilhantes que compõem os times dessas empresas.

Parece que, como já não esperam nenhum sinal de inteligência e bom senso do presidente, se preparam para alavancar ainda mais as pesquisas de Inteligência Artificial e, seguindo a tendência de compartilhar informações, um grupo peso pesado lançou formalmente a “Parceria em IA para Beneficiar as Pessoas e a Sociedade” (Partnership on AI to Benefit People and Society), um organização sem fins lucrativos da indústria de tecnologia fundado por Google, Amazon, Microsoft, Facebook e IBM. Também participam a American Civil Liberties Union, OpenAI, MacArthur Foundation, Peterson Institute of International Economics, Arizona State University e a University of California, Berkeley. Uma ausência sentida neste grupo foi a Apple, que só agora resolveu entrar para a turma.

A comunidade científica sempre criticou a postura fechada da Apple. Muitos dos maiores avanços na IA e na ciência da computação vieram da academia, e a colaboração é muito valorizada. Os segredos da “Maçã” prejudicaram muito a empresa no recrutamento de talentos e ela acabou ficando para trás em alguns dos grandes avanços, especialmente em assistentes de voz inteligentes, como os da Amazon e do Google, que estão fazendo muito sucesso (e vendendo muito bem).

A Apple anunciou oficialmente, semana passada, que vai trabalhar com o grupo. Parece que se convenceu (ou foi convencida pelos consumidores?) que o desenvolvimento da IA será muito mais rápido e efetivo com pesquisas conjuntas e troca de informações.